quinta-feira, 21 de junho de 2012

As ligações escaldantes entre política e o turismo na região de Sicó

É uma daquelas questões que vai dar que falar, dada a sua especificidade, por isso mesmo vou tentar ser o mais conciso possível.
Já por mais que uma vez dei destaque à problemática que pode representar o facto das Câmaras Municipais de Sicó não disponibilizarem publicamente, a curto prazo, as actas das reuniões de Câmara ou de Assembleia Municipal, isto por um motivo muito simples, o de que esta é uma das formas que o cidadão tem de estar actualizado sobre aquilo que lhe diz respeito. Acontece muitas vezes uma acta só ficar online meses depois, o que, eventualmente, pode levar a um entorpedecimento da dita democracia.
Desta vez não falo sobre a disponibilização, ou não, das mesmas, destaco sim o conteúdo peculiar de uma delas. Isto por um motivo muito simples, o de que considero que há ali uma incompatibilidade que deveria estar à vista de todos, a qual está relacionada com uma questão do âmbito do azinheiragate, o turismo na região de Sicó.
Obviamente que isto é a minha opinião, mas cada um poderá tirar as suas próprias conclusões depois do que vou destacar agora:

"Acta nº3 de 2012 - Acta da reunião ordinária da Câmara Municipal realizada em 7 de Fevereiro de 2012 - Alvaiázere

EXTRA  ORDEM  DO  DIA:     O   Senhor   Presidente   pôs   à   consideração   da   Câmara   Municipal   a   apreciação   extra   ordem   de   trabalhos   de   um   requerimento   apresentado   por   Dominique   Fernanda  Martins  Marques  Morgado,  a  que  os  restantes  membros  do  Executivo   deram   o   seu   acordo.   Por   incompatibilidade,   o   Senhor   Presidente   retirou-­se   da   reunião,  enquanto  se  discutiu  este  assunto. 

PEDIDO  DE  LICENÇA  DE  PUBLICIDADE;;  
Foi   presente   um   requerimento   apresentado   por   Dominique   Fernanda   Martins   Marques   Morgado (...) na   qualidade   de   representante   da   Firma   Doticonta,   Investimentos,   Serviços  e  Turismo,  Limitada,  solicitando  licença  para  colocação  de  um  anúncio   luminoso,   com   a   dimensão   de   7500   x   600   mm,   e   com   os   dizeres   www.doticonta.pt  -­  Doticonta,  Investimentos,  Serviços  e  Turismo,  Lda  -­  tel.  236   650  110,  na  frente  do  edifício  sede  da  mesma  Empresa.-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­-­   A   Câmara   Municipal,   deferiu,   por   unanimidade   dos   presentes,   a   emissão   da   referida  licença."


Agora, veja-se o seguinte:

"A DOTICONTA – Investimentos, Serviços e Turismo, Lda., com sede social em Alvaiázere, foi criada em 28 de Novembro de 1995, com o objecto social de “Realização de contabilidade, projectos de investimento, auditoria financeira, auditoria fiscal e formação”, por Paulo Tito Delgado Morgado e Dominique Fernanda Martins Marques Morgado, que constituem até à data de hoje os órgãos sociais da empresa. Com uma visão virada para a inovação e aproveitando a reputação e consolidação que adquiriu, em 23 de Dezembro de 2009, apostou na área de comércio a retalho de equipamentos informáticos, e do turismo rural."


Tendo eu reparado nos nomes respectivos dos empresários, parece-me que há ali uma real incompatibilidade, no que se refere estritamente à questão do turismo a nível concelhio e mesmo regional, já que além de autarca, Paulo Tito Morgado, por inerência do cargo tem também responsabilidades a nível da Associação de Desenvolvimento "Terras de Sicó". Esta é a minha opinião, agora cada um que tire as suas próprias conclusões tendo por base os factos que aqui referi. 
O português tem o mau hábito de ver apenas no curto prazo e é precisamente isso que pretendo salientar com este comentário. Estou curioso para ver em que medida é que a empresa referida poderá ficar (inevitavelmente) favorecida de alguma forma, nos próximos anos, com a "estratégia turística" de alguém que ao mesmo tempo é dois em um no mesmo concelho, autarca e empresário. 
Não deveria ser possível, tal como neste caso particular, ser-se um dois em um, já que poderá sempre ficar a ideia de um alavancado favorecimento, tal como já falado noutro caso:


http://noticiasdocentro.wordpress.com/2010/11/29/tito-morgado-garante-“total-isencao”-na-adjudicacao-de-trabalhos-a-empresa-da-vice-presidente/


Exercer a cidadania é um direito que me assiste, por isso não tenho receio algum de falar numa questão tão sensível, com vista ao debate da mesma, a bem de Sicó. O que me interessa aqui são apenas e só os factos em análise, nada mais. Contra factos não há argumentos. 

2 comentários:

Fábio disse...

Sr João, na minha humilde opinião tenho de concordar consigo, infelizmente segundo me tem parecido, e infelizmente, existem muito assuntos que digamos que se parecem com um lavar de "mãos" a verdade é que se fossem empresas completamente idoneoas não seria de desconfiar, agora na situação em que nos encontramos nunca podemos acreditar e confiar totalmente em ninguem, e a verdade é que este caso como muitos outros deixam muito agua no bico...

cfast disse...

Interessante. "Trabalho publico" que aparentemente parecem apenas beneficiar objectivos privados (ou talvez esteja a ler mal).Um "Déja vu". Gostei do Blogue. Já que conhece tão bem a região e o concelho (Alvaiázere) sabe alguma coisa de um suposto caminho romano que por cá passa? tenho sérias dúvidas sobre um troço que dizem ser romano, mas foi devidamente sinalizado como tal...mas cada vez que lá passo me convenço que não...