terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Sicó vista do céu



Lembro-me bem de quando o filme de Yann Arthus, "Home" foi apresentado ao mundo, um filme que foi o seguimento natural do livro "A Terra vista do céu", do mesmo autor. Foi no dia 5 de Junho de 2009, estava eu em Paris (num congresso), onde o filme foi inclusivé projectado ao ar livre em frente à torre Eiffel.
Apesar de não estar aqui para falar deste filme, estou sim para falar da perspectiva que este filme nos mostra, ver as coisas de cima, do céu.
Também a região de Sicó pode ser vista de cima, mas não de avião, pois isso não tem nada de extraordinário, pelo menos de um avião comercial. Isto tudo é basicamente para destacar uma actividade desportiva que é praticada por algumas pessoas de coragem, o parapente.
Já por três vezes tentei um voo de baptismo, duas em Alvaiázere e uma em Ansião, mas infelizmente em nenhuma das ocasiões as condições atmosféricas ajudaram, tendo sido canceladas ambas as actividades. Já várias vezes vi o pessoal a sobrevoar a região de Sicó nos últimos anos, nomeadamente em Alvaiázere e Pombal, é algo que vale a pena ver. Lembro-me particularmente de uma situação em Pombal, quando durante a meia-maratona de Pombal o pessoal do paramotor andava a sobrevoar a cidade durante a prova, penso que foi há uns 3 anos.
Lembro-me também do dia em que tirei a foto que vêm mais acima, pois apesar de já ter tirado mais fotos ao pessoal do parapente que pratica na Serra de Alvaiázere, nunca tinha tirado tantas e boas fotos a um destes desportistas. O praticante que vêm na foto fartou-se de olhar para baixo, já que andava lá eu a tirar a bela da foto, foi uma excelente oportunidade de tirar boas fotos.
O parapente permite uma perspectiva extraordinária sobre a região de Sicó, imagens de rara beleza podem ser observadas através desta actividade desportiva. É uma perspectiva que apenas algumas pessoas têm o privilégio de usufruir.
Sugiro que dêm uma vista de olhos a alguns vídeos que facilmente encontrei no youtube. Apesar de conhecer bem a região de Sicó, estas perspectivas são algo de novo para mim e que surpreendem mesmo os mais conhecedores:






Isto tudo para vos mostrar que há perspectivas que não são percepcionadas por muitas pessoas, algo que restringe a forma de pensar das mesmas. Há que abrir os horizontes e pensar pela nossa cabeça, não pela cabeça dos outros. Na abordagem do nosso território devemos ter em conta as várias perspectivas, pois só assim poderemos pensar o território no seu todo e equacionar as formas mais correctas para que de uma forma sustentada aproveitemos esta nossa bela região.
Ainda não desisti de experimentar o parapente, espero um dia ter a possibilidade de conhecer Sicó de uma perspectiva bem alternativa e emotiva....

Sem comentários: