quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

O Centro de Interpretação e Museu da Serra de Sicó

Fonte: http://www.cm-pombal.pt

Agora que a obra já foi adjudicada posso então comentar brevemente o projecto do Centro de Interpretação e Museu da Serra de Sicó.
Quanto a mim é o melhor projecto alguma vez pensado para a região de Sicó, no domínio ambiental, sendo um projecto que, quanto a mim, já deveria ter sido equacionado há muitos e muitos anos, já que o potencial da região de Sicó assim o justificaria.
Pode-se dizer, neste caso, que mais vale tarde do que nunca, mas mesmo assim os meus parabéns à Câmara Municipal de Pombal por este notável projecto, o qual prestigia não só Pombal (não apagando os muitos erros a nível ambiental...), mas acima de tudo a região de Sicó (em Pombal também se teima em cultivar a lógica das capelinhas, Sicó não termina nos Ramalhais...).
Á excepção da "Terras de Sicó", considero que todas as outras entidades envolvidas neste projecto são uma garantia de sucesso do mesmo, já que o mais normal neste género de projectos em Portugal é fazer um edifício de depois esquece-se o conteúdo e a sua dinamização. No entanto saliento que uma parceria com a Universidade de Coimbra também seria relevante, já que esta entidade tem já muito trabalho feito no domínio da investigação sobre o Vale dos Poios e em todo o Maciço de Sicó.
Não tenho a mínima dúvida que as parcerias são um garante de sucesso, pois há pessoas de muito valor pessoal e profissional, algo que garante um know-how fundamental para estruturar devidamente o projecto no seu todo.
A localização parece-me acertada, no entanto vou esperar para saber mais pormenores. O facto de se localizar perto do Vale dos Poios é também um factor estruturante, já que esta é, quanto a mim, uma das sete maravilhas naturais da região de Sicó. Depois da estratégia montada poderão finalmente as pessoas visitar esta maravilha, respeitando a capacidade de carga deste local, garantindo assim a sustentabilidade. Até hoje evitei falar abertamente sobre esta maravilha para evitar vandalismo por aquelas paragens. Uma das melhores estratégias para proteger o património é evitar falar dele, infelizmente.
Não posso deixar de notar uma pequena falha, fala-se em acções de conservação da natureza, da biodiversidade e da paisagem, mas falta a base (o "esqueleto") destas, a geodiversidade! Há que começar a incutir um conceito imprescindível no ordenamento e gestão do território, a geodiversidade!.
Não posso também de deixar de falar noutra questão, a das pedreiras da Serra de Sicó, há que começar a pensar seriamente (já deveria ter acontecido há muito tempo...) em discutir abertamente nesta questão tabú, pois não tem lógica ter duas situações antagónicas, de um lado um espaço notável de divulgação do património natural e do outro lado dois enormes buracos no património... Sei que o autarca de Pombal não gosta de falar disto, mas eu faço questão, goste ou não, pois é algo de importante para a região de Sicó.
Fica então esta breve nota sobre algo que interessa a todos aqueles que vivem ou gostam da região de Sicó, ou mesmo aqueles que ainda não visitaram esta região extraordinária.

Sem comentários: